2004 – CHRISTALINO, VAMOS PARA PRAIA !

Surge um problema: Os sobrados estão ficando prontos e as pessoas que compraram o imóvel não cogitam a hipótese de ter um veleiro em seu jardim. Preciso tirar novamente o barco daqui. Daí vem a dúvida: transportar para mais um lugar em Curitiba, ou já para o litoral. Como sempre, existe prós e contras nas duas opções, mas pesando bem, é melhor ir para perto da água, o Christalino já deve estar com muita saudade do mar! Mais uma mudança, agora para Paranaguá. Mais uma vez: Carregamento, transporte e descarga, agora em uma marina … E daí Chico, Vamos transportar o Christalino mais uma vez ?!

Com o barco em Paranaguá, se faz necessário que eu more lá, e por motivos econômicos resolvo usar o próprio barco como meu lar. Entretanto, o barco não tem ainda sistema elétrico nem hidráulico. Tenho que aos poucos conquistar passo a passo o conforto de ter uma lâmpada para iluminar a noite ou uma torneira com água. É uma fase onde me concentro nos itens internos. Passo um período de isolamento, pois aqui ninguém me conhece. Acostumei a ficar períodos de uma semana sem falar com ninguém, só eu, uma música, e o trabalho no barco. Como os móveis já estavam colocados mas a elétrica e a hidráulica não, tenho que retirar móvel por móvel novamente. Sem vizinhos que eu possa incomodar, imprimo o ritmo que quero, ou que é conveniente. Trabalho até as 03 ou 04 h da manha, acordo as 09 ou 10 h, tomo um café, trabalho até as 13h ou 14h, almoço algumas frutas, trabalho até as 20h, saio pra jantar (converso com o garçom), retorno e continuo a trabalhar até novamente as 03 ou 04h da manhâ.

Instalações elétricasInstalações elétricasInstalações hidráulicaDe cima do barco, a vista do portoMarina em Paranaguá