1999 – O ANO DAS EXPERIÊNCIAS COM POLIURETANO

 Agora o interior começa a tomar forma, a agilidade da localização do barco ao lado de casa contribui para isso. Contrato um rapaz ajudante de marceneiro para ajudar-me em alguns serviços. Começamos a fase de colocação (injeção) de poliuretano no interior das laterais e teto. Varias técnicas empregadas até conseguir acertar uma !!! O rapaz desiste de trabalho, ele não me disse mas eu fiquei sabendo da sua família que ele achava o serviço perigoso.

Para quem não conhece, espuma de poliuretano é usado para isolamento térmico e acústico. Existem dois tipos disponível para aplicação: um que reage com a umidade do ar (esse é tranqüilo de usar, vem em spray), e outro que são dois componentes que reagem um com o outro. A reação é expansiva, exotérmica e bem rápida. Depois de misturada se tem uns 30 segundos para aplicação, depois disso … a expansão é certa. Imaginem aplicar esse “ser” expansivo e aderente, no teto e laterais do casco. Essa é digna de se contar no espaço reservado para “histórias de velejador “.

 Aplicando poliuretanoAplicando poliuretanoAplicando poliuretanoAplicando poliuretanoAplicando poliuretano