2006 – UM ANIVERSÁRIO TRABALHOSO

 Enquanto as tarefas em Colombo estão  progredindo aos poucos, no barco os esforços são no sentido de confeccionar o guarda mancebo, pois está perigoso a circulação sobre o convés. A idéia é fazer sozinho essas peças, para isso, já adquiri uma dobradeira de tubo, mas conheci um profissional que trabalha com aço inox e já tinha boa experiência em confeccionar esse tipo de peças. Além do mais, ele utiliza equipamentos de solda profissional, cujo acabamento supera em muitas vezes o obtido por mim com minha máquina de solda elétrica de fundo de quintal. Pois bem, a estratégia é fazer modelos do guarda mancebo em ferro de construção e depois levar para esses modelos para ser confeccionados em tubos de aço inox. Assim concluo esse item, e ganho mais um amigo, mais um torcedor para o Christalino. A partir de agora posso fazer o serviço grosseiro das ferragens em inox, como corte e solda, e conto com esse profissional para as soldas mais delicadas e dar acabamento nas peças. Como esses serviços não costumam ser muito barato por tratar de materiais mais nobres e serviço especializado, estou fazendo as ferragens aos poucos, e conto com a compreensão deste profissional para ir pagando conforme vou podendo. Obrigado Fanor, você é mais um colaborador deste sonho!!!

Colocação do Guarda Mancebo

O skeg e o leme são levados para Paranaguá, agora é hora de inserí-los como parte integrante do veleiro. O Christalino ganhou um leme, já pode fixar um rumo! Entretanto, ainda falta todo o sistema de acionamento do mesmo. Como irá ser o timão do Christalino ?

Com a conclusão da quilha e da carreta, foi contratado um caminhão para levá-los para Paranaguá. É claro que todo transporte necessita de carga e descarga, e sempre é bom poder contar com os amigos. Obrigado  Walter !!!

carreta pré-montadaA carreta, do galpão para o caminhão...A carreta saindo de Colombo

Com as partes da carreta em Paranaguá, iniciou-se a montagem da mesma, pois ela não poderia ser transportada pronta devido suas dimensões, também foi cortado e ajustado as tabuas que apoiariam diretamente no casco do barco.Trabalhos complementares foram realizados também na bolina, algumas laminações, regularização da superfície, e pintura.

Tudo pronto, planejo a logística de colocar a nova carreta sobre o barco, e concomitantemente, efetuar a colocação da quilha. Tudo tem que dar certo na primeira tentativa, pois foram contratados dois caminhões munk para suspender o Christalino, temos 6 horas para realizar o serviço, após esse período, adicional será cobrado a cada hora de atraso. Tudo tem que fluir rapidamente. Escolho um dia especial para mim: meu aniversário. A data está fixa, 22 de novembro de 2006. começo o  dia enviando a quilha em um dos caminhões para pesar em uma balança de alguma empresa. Era importante saber se os cálculos efetuados no projeto da quilha bulbo estavam corretos.

 A quilha  retornou, e com ela veio também meu amigo Denilson com a resposta sobre o peso final da peça: 3820 kg. Ufa , tudo certo era isso mesmo que eu pretendia !!!

içamento da quilhapeso

 É claro que surpresas e dificuldades de última hora sempre ocorre em casos como esse. Os equipamentos de içamento que foram contratados não conseguiam levantar o barco se não fosse removido os tirante do galpão onde se encontrava o mesmo. Tirar o tirante, o galpão não irá cair? Bem, segundos meus conhecimentos, a estrutura iria redistribuir os esforços, haveriam algumas deformações mas o galpão não cairia. Soltamos o tirante, e o galpão resistiu a essa intervenção, agora os munks poderiam içar oi veleiro. Assim ocorreu, o veleiro foi içado, a estrutura antiga que o suportava foi cortada e retirada, a quilha foi posicionada embaixo do casco, e neste momento, mais uma dúvida a ser elucidada: os 10 furos existentes no casco irão coincidir com as posições dos 10 parafusos existentes na quilha ? parafusos de 1 metro de comprimento, tendo que estarem alinhados e paralelos uns aos outro ? E daí Moisés, tá certo ???

Guindaste suspendendo as 12 toneladas...Moisés ajudando a \o encontro\Um probleminha com o leme...12 toneladas de barco suspensas no ar...

A resposta veio rápido ao abaixar o casco sobre a quilha, e se encaixando perfeitamente. Subi no veleiro e coloquei algumas das porcas, fixando a quilha de forma provisória. O veleiro foi novamente içado para agora receber a nova carreta. Os amigos ajudaram a empurrá-la embaixo do casco, e elucidar a última dúvida: Se os berços da carreta irá coincidir em formato e em nível com o formato do casco da embarcação.

Vagner e sua mãe, Dona IrmaColocando a carreta no lugarAmigos reunidos após o serviço

Após alguns minutos o Chistalino pousava perfeitamente sobre a carreta, dando por fim um trabalho delicado. Vamos cortar o bolo, o meu presente já havia sido entregue.

Nas semanas seguintes, as fixações provisórias foram substituídas e a vedação entre a quilha e o casco concluída.